Congo de Ouro

Capoeira e Percussão Romário Itacaré

Tenha em Mente que a percussão é uma das mais antigas formas de comunicação entre nós e nossos ancestrais
Aprenda RSS feed e encontre você mesmo! Prof Romário

Posts Tagged ‘Mestre Geraldo Baiano’

Mestre Geraldo Baiano

Mestre Geraldo Baiano, nascido na Bahia,  na cidade de Juazeiro,chegou em São Paulo como tantos outros e frequentava desde sempre as rodas da República, e outras tantas em São Paulo, como a Santamarense do Mestre Zumbi, Capoeira valente como poucos nunca deu moleza para alunos ou para oponentes na Roda, pertenceu ao Grupo Cativeiro do Mestre Miguel Machado, também conhecido por Miguel Preto, e frequentava além das Rodas de Rua.  a maioria das academias da Zona Sul, muitas vezes acompanhado de seu irmão outro exímio capoeirista. Fundou então o Grupo de Capoeira Angola Raiz dos Angoleiros , com certeza um dos grupos mais antigos de Capoeira Angola de São Paulo naquela época dos anos setenta,  quando a moda em São Paulo era a Capoeira Regional. já era conhecido e respeitado por todos na capoeiragem paulista, exímio tocador de Berimbau, passou seu legado para muitos discípulos. Um dos mais dedicados o Carlinhos que hoje é referência para muitos tocadores e cantadores desses novos que ai estão. Um Jogador de capoeira duro e leal da moda antiga construiu seu nome em uma época em que não existia internet, Facebook e a modernidade de hoje, e por isso é muito respeitado. Durante muitos anos sentou-se para ouvir os ensinamentos do Finado Mestre Ananias, muito antes desses jovens que acompanhavam o Mestre nos seus últimos dias. Homem de honra e muito caráter do qual tenho muito orgulho de ser amigo e por que não dizer discípulo, pois  muito aprendi e aprendo com ele. Suas frases famosas são para todos seus alunos marca registrada de um Mestre de Verdade, como não se vê muitos hoje em dia.

Mestre Geraldo Baiano, born in Bahia in the city of Juazeiro, arrived in São Paulo like so many others, and he had always been in the state of São Paulo, as well as Santamarense of Mestre Zumbi. for students or for opponents in Roda, belonged to the Captive Group of Mestre Miguel Machado, also known by Miguel Preto, and frequented beyond the Street Rods. most of the academies of the South Zone, often accompanied by his brother another eminent capoeirista. He founded the Capoeira Angola Raiz dos Angoleiros Group, certainly one of the oldest groups of Capoeira Angola of São Paulo in that time of the seventies, when the fashion in São Paulo was Capoeira Regional. was already known and respected by everyone in the São Paulo capoeira scene, an excellent player at Berimbau, he passed on his legacy to many disciples. One of the most dedicated the Carlinhos that today is reference for many players and singers of these new ones who are there. A hard-core, loyal old-fashioned capoeira player built his name in a time when there was no internet, Facebook, and today’s modernity, and he is very respected. For many years he sat down to hear the teachings of the Finished Master Ananias, long before these young men who accompanied the Master in his last days. A man of honor and a great character of whom I am very proud to be a friend and why not say disciple, for I have learned and learned much from him. His famous phrases are to all his students trademark of a Master of Truth, as one does not see many today.

Com muitas histórias para contar, Mestre Geraldo Baiano é um Mestre sério, com experiencias de vidas capazes de contribuir e muito com com a evolução de seus discípulos.

romildoEu Conheci o Mestre Geraldo Baiano, no final da década de 70 nas rodas de Capoeira da Santamarense do Mestre Zumbi, naquela época frequentava uma constelação de bons capoeiristas tais como, Mestre Limãozinho,Mestre Natanael,Mestre Sarará,Mestre Tarzan,Mestre Toninho, Mestre Mussum, Indião, Indinho,Acidente,Mestre Carinhoso,Mestre Cebolinha,Mestre Ceará,Mestre Tarzanzinho,Mestre Kunta Kinte,  Mestre Ananias, Mestre Joel , Mestre Funileiro,entre outros. Antes de me mudar para a Bahia, frequentava a Academia do Mestre Geraldo, que era para poucos, pois lá somente os melhores capoeiristas ousavam participar dos treinos e das rodas, eram dias difíceis Rssss, mas nos mostravam o quanto precisamos estar atentos nas rodas, cabeçadas, rasteiras,galopantes,desprezos, cutilas asfixiantes e muitos golpes que hoje não são vistos com frequência nas rodas.  Capoeira valente e temido e respeitado, Mestre Geraldo Baiano é figura presente nas rodas, exímio tocador de berimbau inspirou e inspira até hoje muitos tocadores e cantadores. Participamos de muitas rodas e trocas de graduação juntos, ou de ônibus, ou apé, ou em seu fusca branco cheio de berimbaus pandeiros e atabaques. Tenho hoje na memoria e no coração todos os bons momentos de aprendizado e de companheirismo com Mestre Geraldo nesses 40 anos de amizade e respeito. O Mestre costuma me chamar de “Bahia”, e as vezes me chama de Professor Vai lá Vem Cá ( Pois eu era conhecido como Corre Gira da Capoeira, e visitada todas as academias de Capoeira de que tinha conhecimento, e fazia ali boas amizades, no Brasil inteiro

“I knew Mestre Geraldo Baiano, at the end of the 70’s, on the wheels of Mestre Zumbi’s Capoeira da Santamarense, at that time he frequented a constellation of good capoeiristas such as Mestre Limãozinho, Mestre Natanael, Mestre Sarará, Mestre Tarzan, Mestre Toninho, Mestre Mussum , Indião, Indinho, Acident, Mestre Carinhoso, Mestre Cebolinha, Ceará Master, Master Kunta Kinte, Master Ananias, Master Joel among others. Capoeira brave and feared and respected, Master Geraldo Baiano was a figure present on the wheels, an excellent berimbau player inspired and inspires to this day many players and singers. We participate in many wheels and graduation exchanges together, either by bus, or by plane, or in his white fusca full of berimbaus pandeiros and atabaques. Today I have in my heart and in memory all the good moments of learning and fellowship with Master Geraldo in these 40 years of friendship and respect. The Master used to call me “Bahia”, and sometimes he called me a Teacher “Vai lá Vem Cá” (For I was known as Run Capoeira Run, and visited all the academies of Capoeira of which I had knowledge, and made good friends there, in whole Brazil and in  the world”

Fonte Romário Itacaré