Congo de Ouro

Capoeira e Percussão Romário Itacaré

Tenha em Mente que a percussão é uma das mais antigas formas de comunicação entre nós e nossos ancestrais
Aprenda RSS feed e encontre você mesmo! Prof Romário

Cursos

Aula de Percussão para Alunos na cidade de Flint – Michigan – EUA

 

Tambor de aço

O tambor de aço (steel drum em inglês) é um instrumento musical de percussão originário de Trinidad e Tobago, muito utilizado no calipso, um dos ritmos musicais caribenhos. É constituído por um cilindro feito de aço, com o fundo moldado em concavidades de diferentes tamanhos. Cada concavidade emite uma nota diferente e são afinados cromaticamente (embora alguns tambores de aço possam eventualmente ter afinação diatônica).

O instrumento é tocado golpeando-se as concavidades com baquetas revestidas de borracha ou feltro. Originalmente tocado no carnaval na América Central e Caribe, seu timbre metálico peculiar encanta diversos músicos de reggae e jazz, género em que o tambor de aço tem ganhado espaço.

 

Origem

Os tambores de aço foram criados por negros já na diáspora africana, pelos afro-descendentes jamaicanos da ilha de Trinidad. Os tambores eram usados como forma de comunicação entre os negros escravizados e foram subsequentemente declarados ilegais pelo governo colonial britânico em 1883, com receio de que os ilhéus pudessem organizar rebeliões através da comunicação sonora. Os negros também utilizavam os tambores de aço durante a celebração da terça-feira gorda, festividade trazida às ilhas de Trinidad e Tobago pelos franceses.

Na década de 1930, os nativos criaram um outro instrumento de percussão, chamado Tamboo-Bamboo, feito a partir de caules de bambu de diferentes comprimentos, os quais eram golpeados com uma pequena marreta de madeira, produzindo som. Nessa época, surgiram diversas bandas de Tamboo-Bamboo, as quais criaram rivalidade umas com as outras e portavam-se como gangues. Em 1934, as autoridades britânicas proibiram a fabricação e o uso do Tamboo-Bamboo, sob a alegação que os fabricantes do instrumento destruíam várias plantações de bambu através da colheita ilegal, além da violência perpetuada entre as bandas.

Círculo de Tambores ou Roda de Tambores, tem como principal objetivo integrar as pessoas e deixar acontecer uma experiência natural de possibilidades rítmicas e sonoras, envolvendo todos os participantes numa roda energética despretensiosa  tendo como sujeitos principais os participantes presentes que se organizam numa grande roda e, com os mais diversos tipos de instrumentos musicais, soam e entoam  diferentes  ritmos sons .

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

A experiência já acontece em muitos outros lugares  do planeta: pessoas se reúnem para tocar seus tambores e dançar em louvores à natureza; celebração do encontro; reverência aos ancestrais.  Numa experiência   extra religiosa, mas,  envolvendo a espiritualidade de cada um, num ritmo pessoal e coletivo misturando tudo que é vida e movimento.
Para os negros, para os índios no Brasil, escravizados, os tambores são símbolos de resistência cultural e religiosa apontando para a possibilidade de, a partir da reunião de pessoas com objetivos comuns, exercitar a emoção e trabalhar as angústias coletivas embalados e revigorados a partir da energia emitida pelos ritmos pulsantes  do coração e dos tambores. É um acontecimento comunitário. Lá.

Funcionando como anti-stress, muitas empresas estão usando horários alternativos para permitir aos seus funcionários alguns minutos de imersão aos sons dos tambores, a equipe do Congo de Ouro coordenada pelo professor Romário participa ativamente desses encontros numa vivência e convivência muito produtiva, melhorando o ritmo e  a auto-estima de funcionários e ou colaboradores.

 

Para contratar entre em contato com a Secretária do Congo de Ouro

055(11) 9 6461-4644 ou pelo telefone 055(13) 4141-4214

Curso de Percussão

Estamos iniciando em breve Grupo para Percussão com ritimos africanos, ritimos de religiões afro descendentes, como Ijexá, Cabula, Barra Vento,Samba de Caboclo,Congo de Angola, toques mistos africanos, atabaques Rum Rumpi e lé, Agogos, Caxixis e muito mais se você gosta de percussão fique ligado, as aulas serão ministradas pelo prof. Romildo Coelho conhecido no mundo da capoeira por Romário, e percussionista há mais de 40 anos

Steel drum

The steel drum (steel drum in English) is a musical percussion instrument originating from Trinidad and Tobago, widely used in calypso, one of Caribbean rhythms. It consists of a cylinder made of steel, with the bottom molded into convexities of different sizes. Each concavity emits a different note and are tuned chromatically (although some steel drums may possibly have diatonic pitch).

The instrument is played by striking the hollows with drumsticks coated with rubber or felt. Originally played at the carnival in Central America and the Caribbean, its peculiar metallic timbre enchants many musicians of reggae and jazz, kind in the steel drum has gained ground.

Source

Steel drums were created by blacks already in the African Diaspora, the Jamaicans african descent of the island of Trinidad. The drums were used as a form of communication between African slaves and were subsequently declared illegal by the British colonial government in 1883, fearing that the islanders could organize rebellions through sound communication. Blacks also used steel drums during the celebration of Shrove Tuesday, festivity brought to Trinidad and Tobago by the French islands.

In the 1930s, the natives have created another percussion instrument called Tamboo-Bamboo, made from bamboo stems of different lengths, which were struck with a small wooden mallet, producing sound. At that time, there were several bands of Tamboo-Bamboo, which created rivalry with each other and behaved like gangs. In 1934, the British authorities have banned the manufacture and use of Tamboo-Bamboo, on the grounds that the instrument manufacturers destroyed several bamboo plantations by illegal crop, as well as violence perpetrated between bands.

Drum circle or Drums Wheel, aims to integrate people and letting it be a natural experience of rhythmic and sonic possibilities, involving all participants in an unpretentious energy wheel with the main subject attendees who organize a large wheel, with various kinds of musical instruments, sound and sing different rhythms sounds.

From Wikipedia, the free encyclopedia.

Experience has in many other places on the planet: people gather to play their drums and dance in praise of nature; celebration of the meeting; reverence for ancestors. A religious experience extra, but involving spirituality of each, in a personal and collective rhythm mixing everything is life and movement.
For blacks, the Indians in Brazil, enslaved, the drums are cultural and religious resistance symbols pointing to the possibility, from the meeting of people with common goals, exercise emotion and work the packed collective anguish and invigorated from the energy emitted by the pulsating rhythms of the heart and drums. It is a community event. Over there.

Functioning as anti-stress, many companies are using alternative schedules to allow your employees a few minutes of immersion to the sounds of the drums, the Congo team coordinated Gold by Professor Romario actively participate in these meetings in a living and productive coexistence, improving the pace and self-esteem of employees and or collaborators.

To hire contact the Secretary of the Congo de Ouro

055(11) 9 6461-4644 or by phone 055(13) 4141-4214

Percussion Course

We are starting soon Group Percussion with African rhythms, rhythms of african religions descendants, as Ijexá, Cabula, Barravento , Samba de Caboclo, Congo Angola, African mixed tones, drums Rum Rumpi and lé, Agogos, Caxixis and more if you like percussion stay tuned, classes will be taught by prof. Romildo Coelho known in the world of capoeira by Romario and percussionist for over 40 years

4 Responses to “Cursos”

  1. Marcelo Brum disse:

    Boa Tarde,

    Gostaria de receber informações sobre as possibilidades de contratação do curso de percussão, em especial a Conga e Atabaque, sou de São Paulo, trabalho no centro da cidade e moro em interlagos, estou disposto a iniciar imediatamente.

    desde já agradeço,

    Marcelo Brum

    • admin disse:

      Ola Marcelo em breve teremos um grupo se formando, estou incluindo o seus dados e informo com antecedencia, os dias e horários das aulas. um forte abraço e axé

  2. José Roberto disse:

    Boa noite, gostaria de saber se vcs têm cursos em DVD para toques de Candomblé Ketu?

    Por exemplo, cantigas para Ogum, Oxóssi…

    grato.

Deixar Mensagem